4 de mar de 2012

Venha com a abelha que te devolvo em mel!

“De flor em flor a abelha enche o pote”

O Ile Asè Omin tomou a liberdade de trocar um pouco as palavras do ditado popular “de grão em grão a galinha enche o papo” para contar o que está começando a adoçar a casa.
Depois de uma formação em Meliponicultura no Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) de Curitiba, do Paraná, em janeiro deste ano. O sítio começou a reproduzir seus primeiros aprendizados...
Para quem não conhece, a Meliponicultura é o cultivo de abelhas indígenas sem ferrão, os meliponídeos, que podem ser encontrados em todas as regiões tropicais e subtropicais.
A ideia é formarmos um meliponário, que seria um tipo de condomínio com pequenas casas de madeira para as abelhas construírem suas colméias. Promovendo assim a maior polinização da flora do ecossistema de Cachoeira de Macacu e quem sabe posteriormente valorizarmos para a medicina como se prática na mãe África.
Já são quatro colméias de abelhas e que já deram frutos, ou melhor, mel! Apesar de mais fluido e se cristalizar lentamente do que o que estamos acostumados a ver, da abelha com ferrão. Não deixa de ser uma delícia e uma ótima oportunidade de geração de renda.
O projeto do meliponário ainda pretende crescer e transmitir esse conhecimento para a região. Onde até crianças das escolas locais possam o aprender sobre o ciclo ecológico e sua importância na prática.


Por: Luiz André de Xango

"Da Abelha ao Mel, com Amor, Dedicação e Saúde"

Nenhum comentário: